22

maio
Inspiração: Rainbow Hair

Faz tempo que não faço post de inspirações por aqui, mas inspirada na tia Ana Maria e seu programa sobre unicórnios na semana passada, resolvi fazer um todo colorido e cheio inspirações incríveis pra vocês sobre o rainbow hair. Traduzindo seria cabelo arco-íris, ou seja, coloridérrimo. Confesso que até bateu uma vontadinha de me aventurar pelo universo do arco-íris, porém, 1. meu cabelo já não é uma maravilha, ia ficar um belo bagacinho; 2. a manutenção deve ser chatinha e cara; 3. não sei se algum dia estarei preparada para abandonar o ruivo. Mas tudo que é bonito é pra se apreciar, não é mesmo? Então vamos lá!

Esse é clássico, todas as cores do aro-íris e super mega vibrante, alguns chamam de neon. Fica absurdamente lindo e dá um destaque único, com certeza você não vai passar despercebido.

Há quem prefira os tons mais pastéis e aposte nesse ar de cabelo de algodão doce. Como uma boa libriana que sou, não sei dizer qual prefiro, pois é tudo muito lindo e lúdico. Pena que não dá pra escolher todos, me facilitaria um bocado.

Mas se umas querem cores bem vibrantes, outras preferem esconder as cores lá no meio do cabelo, ou na parte de baixo, assim, quando o cabelo está solto está normal, mas adquiri um charme todo especial quando preso. Sensacional esse estilo, com meio coque ou rabo de cavalo deve ficar maravilhoso.

Mas se você não quiser fazer tanta mistura de cor, dá sempre pra optar pelas favoritas, ou as que ornam mais entre si, ou, então, deixar uma cor predominar, seja com tons de azul, verde ou rosa, ou o que for. Vai dizer, impossível ficar feio.

E vale lembrar, que antes mesmo da moda surgir com essa força por aqui, Marimoon já desfilava suas madeixas coloridas pra lá e pra cá, podemos dizer que ela é uma das pioneiras do estilo aqui no Brasil. Aliás, a mari já teve o cabelo de praticamente todas as cores, eu adorava assistir o acesso, já ficava esperando qual seria a nova cor do cabelo dela.

E atualmente também temos outra musa do rainbow hair no Brasil, a youtuber Lully de Verdade. Aliás, quem não conhece o canal da Lully, deveria conhecer, ela fala sobre cinema e dá várias dicas e críticas por lá. Legal ver como a Lully começou só com as pontinhas coloridas, e com o tempo foi pintando mais e mais, até chegar à raiz.

Estou completamente apaixonada, mas acho que vou segurar a empolgação. E aí, me conta se você já fez esse procedimento ou se pretende fazer.


2 comentários


18

maio
Me rendi ao batom vinho + batons vinho acessíveis
em Beleza

Sim, eu sei que já tem anos que ele está circulando por aí e que está longe de ser uma novidade, mas tem só algum tempo que eu comecei a me arriscar em tons mais escuros e diferentões, e no mês passado me vi numa corrida intensa para encontrar um batom vinho lindão (e dentro do meu orçamento) para uma formatura. Acabei não encontrando o tom que eu realmente queria, mas me vi ousando e usando um roxão poderoso, coisa que eu nunca havia feito antes por pura insegurança. Pra não dizer que eu nunca tinha usado batom vinho, eu ganhei um uns dois anos atrás numa promoção da Que disse Berenice? e acabei usando ele umas poucas vezes. Me tirou totalmente da minha zona de conforto, e olha que esse é um batom bem clarinho pra quem está acostumado com cores mais fortes. Eu vou mostrar esse e os que adquiri recentemente logo abaixo.

1. Grenat Glam Make B. Modern Asia(O Boticário) – R$37,90

2. Cereja Ultramatte (Avon) – R$24,99

3. Vinhex (Quem disse, Berenice?) – R$25,90

Infelizmente Curitiba não é uma cidade que recebe muito sol, então é muito difícil conseguir uma iluminação natural decente, e a cor na foto nunca fica igual como é de verdade. Mas é o que tem pra hoje. 1. O Grenat Glam é um lançamento da linha Make B. de O Boticário, que se chama Modern Asia, inspirada nas tendências pop asiáticas. Junto com ele foram lançados outras 3 cores, todas elas receberam duas versões, a líquido matte (foto) e a versão cremosa em bala. Eu estou viciada nele, com uma passada ele fica um vinho lindo, e com duas fica um roxão pirigótico maravilhoso. Sério, eu tenho usado ele toda semana, o acabamento é bem sequinho, dura super bem e tem um cheirinho mega bom. 2. minha mais nova aquisição é o Cereja Ultramattte da coleção Ultra Color Ultramatte da Avon e eu estou amando a cor. É bem o que eu estava procurando no começo, um vinho bem poderoso, mais pro vermelho que pro roxo, diferente do Grenat Glam. 3. O Vinhex, da Quem disse, Berenice? tem acabamento cremoso e não tem uma cobertura tão intensa, ficando mais claro na boca que na embalagem. Ele é bem brilhosinho, e por isso acabou refletindo na imagem, mesmo sem o uso do flash, mas eu diria que ele é um vinho claro, que acentua um pouco o tom natural da boca, mas que não destaca tanto quanto os anteriores.

E esse é o retrato de uma coleção que se inicia, se tiverem dicas de outros batons vinho acessíveis, me ajudem aqui também. Beijos e até mais!


2 comentários
Tags: ,


23

fev
Minha história capilar e como aprendi a controlar as madeixas
em BelezaPessoal

Fala-se muito em auto aceitação e empoderamento nos dias de hoje, não apenas por ser um assunto da moda, mas porque realmente é algo importante pra caramba. Confesso que ainda tenho algumas confusões com os termos vez ou outra, eu acho que é muito importante sim a gente aceitar quem somos e como somos, mas há aquela linha tênue e muito delicada entre aquilo que fazemos porque não nos aceitamos da maneira que somos e o que fazemos porque realmente queremos e nos sentimos melhor fazendo, e isso às vezes acaba se confundindo por si só.

Eu admito que sempre me gostei mais de cabelo liso, portanto, fui escrava da chapinha durante um bom tempo, mas nunca deixei que isso me afetasse a ponto de não sair de casa se não estivesse de chapinha, de vez em quando eu até resolvia usar ele ao natural, (o que durava no máximo uma semana), mas era, de fato, com o cabelo liso que eu me sentia mais bonita, quando eu me olhava no espelho e gostava mais do que via. Meu cabelo já teve vários aspectos, mas num geral ele sempre foi muito “armado”, um pouco sem forma e com muito frizz, é uma mescla de cachos indefinidos e outros mais definidos (em 2011, como na foto acima, ele estava mais cacheado), o que chamaríamos, na verdade, de ondulado, mas definitivamente bem longe do liso, então, meu maior trabalho era pra conseguir controlá-lo. Cheguei a fazer progressiva umas duas vezes, mas não diminuía a trabalheira pra cuidar, já que tinha que secar com o secador, e ainda assim não ficava liso liso, acabava sempre tendo que complementar com a chapinha do mesmo jeito.

Por fim, com o verão aí, sem paciência de passar mais um ano na sofrência, afinal, quando a idade vai chegando, e o empenho vai indo embora, então não tenho mais vontade de ficar suando em bicas na frente do secador a cada lavagem, então decidi me libertar. Fui para o mar, corri, suei a cabeleira, lavei quantas vezes possível e to curtindo o meu volume, que já é bem menor que em anos atrás. Agora eu só preciso mesmo é me recuperar da franjinha ridícula que decidi cortar, pra jogar o cabelão pro lado com gosto. Na foto acima ele já estava bem mais bonito, brilhoso e com menos frizz (e estava 100% virgem), repara que eu dava uma leve chapada nas pontas.

Com isso aprendi a dar pra ele o que ele precisa, pra ajudar a controlar o volume e deixar ele mais do jeito que eu gosto. Não aplico nenhum segredo mágico, é mais um leave-in mesmo e procurar manter ele afastado do vento quando molhado, além de NUNCA, mas nunca mesmo, passar a escova. Ainda há muita falta de conhecimento sobre os cabelos ondulados, cacheados e crespos, e considero o maior erro do mundo pentear ele depois de seco, ele perde toda a forma, além de ser um grande inimigo do volume (se esse é um problema pra você). Portanto, escova/pente só com o cabelo recém saído do banho e/ou durante, que é o meu caso. E é isso, aprendi a lidar com ele e agora é só alegria. Não precisei fazer nenhum tipo de transição, pois a escova já nem estava mais no meu cabelo, uma vez que era algo que fiz só uma vez (tinha feito outra 6 anos atrás) e nem tinha pegado direito, então pra mim foi super natural. Mas se você está pensando em aderir ao seu cabelo natural e tem essa questão, indico muita pesquisa sobre o assunto, e têm ótimas blogueiras que também estão passando por esse processo, uma delas é ninguém mais que a Bruna Vieira do Depois dos Quinze, que inclusive fez esse post aqui sobre o assunto.

Finalmente consegui chegar em um aspecto que estou amando muito. Ele está com menos volume, não está tão brilhoso e sedoso como na segunda foto porque química tem dessas coisas, neah, mas num geral estou bem satisfeita. O meu cabelo é mais liso na raiz mesmo, mas as vezes eu dou uma chapadinha despretensiosa na franja porque ela está curtíssima e está em dando o maior trabalho pra deixar ela bonitinha, mas creio que quando ela crescer nem isso mais será necessário. Acho que o importante nisso tudo é você aprender o que fica bem no seu cabelo, como ele fica melhor em você e o que deixa ele mais bonito. Eu estou muito feliz com o meu.


0 comentários


24

jan
Testei: Protetor solar Vichy Idéal Soleil Antiacne

Vocês conhecem o The Insiders Brasil? Ele é um site que você se inscreve para receber produtinhos para testar. Na hora que você se inscreve, você responde a uma pesquisa a empresa vai selecionar um número limitado de pessoa, de acordo com o perfil que eles estão procurando, para receber esses produtos. Já estou cadastrada no site há algum tempo e essa é a primeira vez que fui selecionada, e olha só, por uma marca que nunca usei, mas que sempre tive vontade por ouvir falar muito bem a respeito. A Vichy, para quem não conhece, é uma marca de cosméticos francesa que foi fundada no início do século 20 pelo médico Dr. Haller, a partir da milenar água termal mineralizante de Vichy, localizada na região vulcânica da França. Essa água essa que virou ingrediente principal dos produtos da Vichy, que, por sua vez, foi a primeira marca de cosméticos a integrar água termal aos seus produtos.

Bem, o produto que a Vichy está lançando tem tudo a ver com a fase que eu estou vivendo atualmente, em que eu ando muito mais preocupada em cuidar da minha pele, procuro usar protetor todos os dias, pelo menos no rosto, então isso veio bem a calhar, já que seu lançamento é o protetor solar Idéal Soleil Antiacne. O produtinho chegou na sexta-feira, por isso que ainda não tinha conseguido postar, já que desci para a praia com meu namorado, o que foi ótimo, porque olha só que oportunidade perfeita pra sair da sombra e testá-lo. Na minha caixinha (que não consegui fotografar e acabei esquecendo na casa da minha sogra lá na praia #cabeção) veio um unidade grande do protetor da Vichy, essa necessaire linda da foto acima que amei muito, mais 6 amostrinhas pra compartilhar com minhas amigas e fazê-las sair da sombra junto comigo. Então vamos aos detalhes:

– Ele tem fator de proteção 30
– É antiacne, ou seja, ele promete reduzir acne e também os poros
– Ele é oil free, possui o famoso e tão buscado “toque seco”
– Promete controlar o brilho e oleosidade por até 9 horas segundo teste consumidores

Gostaria apenas de fazer um adendo antes das minhas considerações, pois eu estava no litoral do Paraná, estava quente lá, mas o litoral daqui não é tão quente como no Rio ou nordeste, por exemplo, então não tenho como falar sobre como ele funciona em calor muito intenso, mas sim de como ele se aplica à minha realidade.

Como ele funcionou comigo?

Bem, minha pele é muito oleosa mesmo, então é bem difícil algum creme ou protetor segurar bem a oleosidade nela, eu apliquei ele por volta de 14:00 e depois de uns 5 minutinhos percebi que ele realmente secou na minha pele. Com o protetor que eu estava usando até então, que também diz ser oil free, isso não acontecia mesmo na sombra, a pele ficava sempre meio grudadinha, portanto achei que ele cumpriu direitinho o papel. Acredito que não por tanto tempo quanto nos testes da marca, mas durou bem umas 5 ou 6 horas. Assim, você vai suando e à medida que isso vai acontecendo, obviamente a tendência é a pele ir ficando mais oleosa, mas mesmo assim, ele não fica melequento, o que é ótimo. Gostei do cheirinho também, que é bem agradável e não tem cheirinho de protetor. Não consegui avaliar bem o fator antiacne por dois motivos, primeiro que essas coisas tendem a ser contínuas, então não resolveria eu usar um ou dois dias, depois que, mesmo minha pele sendo super oleosa, ela é abençoada, porque não tenho muita acne, alguns cravinhos pequenos que surgem as vezes, mas bem de leve, mas vou tentar perceber se eles reduzem também. Por fim o que adorei também é a textura, ele não é tão pastoso, é mais líquido, o que torna ele mais fácil de espalhar e a absorção é bem melhor, gostaria apenas que disponibilizassem uma versão fator 50, pois sou neurótica e não me sinto tão segura com 30. No mais estou adorando a experiência e com certeza já troquei meu atual pelo Vichy.

E você, conhece e/ou usa Vichy? Me conta aqui o que acha da marca e dá uma dica de produtinho bapho imperdível que estou aceitando.

Vou atualizar esse post com foto da minha caixinha linda quando eu recuperá-la, o que deve acontecer no final de semana.


0 comentários