14

ago
Os looks do Teen Choice Awards 2017

Ontem foi dia de Teen Choice Awards, aquelas premiações pra gente ficar ligada no que está bombando nas telinhas dos Estados Unidos (ou na nossa) e, obviamente, observar os looks babadeiros que irão passar pelo tapete vermelho (azul, nesse caso). Não sei se sou eu que estou ficando velha (provavelmente), mas tenho a impressão que já não me empolgo mais muito com essas premiações. Primeiro porque eu olho as pessoas e só reconheço 20% dos que estão lá, depois que tenho a ligeira sensação que o que está lá não tem mais o destaque que tinha em anos passados. Mas, enfim, vim aqui pra mostrar looks, e isso é o que farei agora.

Começando pelas mais ousadas e fora do óbvio, aquelas que acabam optando por calça ou macacão ao invés de vestidos. Lembrando que o Teen Choice Awards, como o nome já diz, é uma premiação voltada para o público jovem/adolescente (teen), por isso, o dress code do evento é mais informal, não exige toda a pompa e elegância de eventos como os que antecedem o OSCAR (e o próprio), por exemplo. Os looks tendem a ser mais jovens, divertidos e muitas vezes, mais simples, também. Como podemos ver na foto acima, Bella Thorne é um exemplo do que é o evento, ela ousa, inclusive, na maquiagem, trazendo para o tapete azul uma algo mais conceitual, mas que quebra o preto de seu look. Vanessa Hudgens também apareceu por lá, de rosa antigo, gola alta, e uma calça com um comprimento duvidoso, confesso que não amei. Outra que não amei foi a Zendaya, porém, super respeito a escolha pelo história da atriz, que ousa sem medo, e acerta na maioria das vezes. Pra muitos, ela foi rainha, pra mim, só me lembrou o pijama do meu pai. Um detalhe que não dá pra ver na foto, é que o conjunto é todo em paetês, uma delicadeza só. Bebe Rexha, cuja qual não conhecia o rostinho ainda, foi mais como outras 10 pessoas que vi por lá, porém, gostei mais dela que de outras que vi. Victoria Justice sempre um abuso, amei o macacão branco com abertura geométrica no abdômen, o cinto visto de perto é muito lindo.

As gatas do Fifth Harmony também marcaram presença no evento, e, talvez pela primeira vez, as vejo acertar. Será que a saída da Camila tem a ver? No mais, achei que estão todas lindíssimas, gostei que elas não combinaram cor e nem estilo das roupas, apostaram no minimalismo, e o minimalismo abraçou elas.

Quem também esteve por lá foi a Janel Parrish, nossa eterna Mona de Pretty Little Liars, em um justinho branco, com decote e abertura. Sabe aquela sensação de, gostei, mas não tanto? Não sei dizer. Ao lado dela, tem a Supergirl, Melissa Benoist, com o combo saia + cropped. Gostei do conjuntinho em couro preto, achei charmoso e a fenda lateral deixou sexy na medida, linda. Rita Ora sempre tenta, mas não sei, algo não me desce. É um vestido em cetim (?) rosa choque, com fenda e decotão, e uma espécie de laço amarrado ao lado, como se fosse um robe. É horrível? Não. Mas não amei. Já Niki Koss, de Famous in Love, foi toda primaveril, também de saia + cropped, nesse amarelo bonito todo florido. Está lindo, delicado e jovem o modelo do cropped é super diferente, adorei. Outra que apostou nas flores foi Paris Jackson. Ela mesma, filha do eterno rei do pop, em um vestido fluído e sereno, meio vintage e muito bonito, só acho que ele talvez tenha envelhecido ela alguns anos.

Meu elenco queridinho da atualidade, a turma de Riverdale fez bonito no TCA. Madelaine Petsch, que por si só já é um abuso de tão linda, escolheu um macaquinho branco que é uma graça como ela. A transparência é na medida certa e tem esse detalhe da manga volumosa, adorei. Lili Reinhart merecia uma foto solo, mas vamos deixar como está. Adorei que ela é afrontosa, ousada e maravilhosa. Adorei o conjunto de body + vestido rendado transparente, o vinho deu um ar mais dark, enfim, amei tudo nele. Nossa quase brasileira, Camila Mendes, foi mais basiquinha, apostou no conjuntinho rosa bebê, só não gostei muito da escolha do sapato. A meia-pata pesou um pouco, deu um ar meio de colegial dos anos 2000, se tivesse optado por uma sandália normal, creio que teria ficado mais bonito. Ashleigh Murray trouxe a cota de brilho da noite, e que brilho. Achei maravilhoso o vestido, não achei que ornou muito a sandália com o vestido, mas ainda assim, gostei bastante.

Mas já que estamos falando de um evento adolescente, nada mais justo que também mostrar aqui a galerinha teen que apareceu por lá. Esse trio é simplesmente sensacional, se somar os talentos não tem pra ninguém. A linda e talentosíssima dançarina, mais conhecida por ser a mini Sia dos clipes, Maddie Ziegler. Não sei se foi a adultização do look para uma garota tão jovem, ou se foi somente a parte de cima um pouco grande demais que me incomodou, mas não gostei não. Já o vestido da Milli Bobby Brown, não chega a ser adulto demais, eu só achei esquisito mesmo. Agora, a fofinha da Grace Vanderwaal (lembram que falei dela aqui?) achei super condizente com sua idade e com seu estilo. Amei o slipper de orelinhas de coelho, todo trabalhado no glitter, junto com a calça rosa, super gracinha e camiseta com lacinho. Não está nem infantil, nem muito adulto e está lindinho, adorei.

Vamos falar dos boys? Teve Ne-Yo que sai do seu retiro espiritual em marte e voltou pra terra. Tava sumido, neah!? Senti saudades, ouvi dizer que vem coisa boa por aí, mas enquanto não chega, que tal esse look? A cara dele, né nom? Parece que os anos não passaram pra esse menino. Tem também os boys do elenco de Famous In Love, Carter Jenkins e Charlie DePew. O primeiro meio numa vibe bad boy turista e o segundo animadinho, vibes bem casual, porém, gostei. Não poderia deixar Cole Sprouse de fora dessa, não é mesmo? O garoto é ousado, daqueles que parecem se quer se importar com o look, não vou mentir, achei bizarro. Divertido, mas ainda assim bizarro. Uma versão mais bonita de Agostinho Carrara.

Acharam que tinha acabado? Que nada, sempre tem aquelas menções honrosas maravilhosas. Eu simplesmente amei esse vestido da Pepi Sonuga, de Famous in Love. Achei ele bonito, lúdico, divertido, além de ela ser linda de doer. Poderia ser só mais um daqueles vestidos que tentam ser ousados, mas acabam caindo na bizarrice, mas não, achei poético e a cara do que queremos ver em eventos desse gênero.

Mas o meu favorito da noite ficou com ela, aquela que não tenho falado quase nada por aqui. Lucy Hale é uma gracinha e cada look seu é um deslumbre. Adorei esse curtinho interessante, essa mistura de texturas, as cores, que casaram super bem. Quando eu olhei pra ele, logo de cara, foi amor, já quero pra mim.

Ufa! Acabou. E aí, gostou dos looks? Esperava mais? Qual foi seu favorito?


1 comentário


17

ago
Séries teen que deixaram saudades
em SériesTV

Alerta de post nostálgico! Quem nunca foi adolescente e viciado em uma certa novela/filme/série que atire a primeira pedra, certo? O melhor então é quando essas séries nos lembram de uma época tão boa e nos trazem aquela saudade gostosa, aquela nostalgiazinha, uma vontade de voltar no tempo. Isso quando ela além de tudo ainda nos deixa vários ensinamentos e reflexões. Vou citar a seguir algumas séries que fizeram parte de minha adolescência e até início da fase adulta, séries que me divertiram, me ensinaram e me inspiraram. Espero que vocês também se identifiquem e tenham gostado delas tanto quanto eu.

One Tree Hill

Não tem como começar essa lista com outra série que não One Tree Hill. Comecei a assistir quando passava no SBT na época, Lances da Vida, lembram? Mas sempre pegava episódios aleatórios, até que resolvi acompanhar a série em sequência, desde o primeiro episódio, para entender melhor a trama. E não deu outra, me apaixonei mais ainda. A série gira em torno dos amigos do ensino médio da cidade fictícia de Tree Hill, Lucas Scott (Chad Michael Murray), Nathan Scott (James Lafferty), Brooke Davis (Sophia Bush), Peyton Sawyer (Hilarie Burton) e Haley James (Bethany Joy Lenz). A maneira como esse grupo se une ao longo do tempo é apaixonante e inspiradora, cada um com sua história e seus objetivos. Cada episódio era cheio de ensinamentos profundos e reflexões super pertinentes à vida dos adolescentes daquela época e dessa também. Quem não lembra do episódio com o trabalho de classe em que os alunos deveriam formar duplas a fim de conhecer um ao outro? Sem dúvida está no meu top 5 dos episódios favoritos, se não for o 1º. A maneira como One Tree Hill abordava a temática adolescente foi inovadora e maravilhosa, sem dúvida inesquecível. No entanto, devo admitir que eu sempre achei que o episódio final ideal teria sido aquele último da 4ª temporada. Até então, a série era perfeita, quando voltou para a 5ª temporada, com o tempo adiantado em 5 anos, se não me engano, foi bom por ter um pouquinho mais de One Tree Hill, mas achei que o principal da história se perdeu e virou em um dramalhão mexicano. Assisti até o começo da 8 e até hoje não consegui terminar, quem sabe um dia. E se você ainda não assistiu, eu super recomendou, apesar de não ter gostado da continuação, mas se você tem medo de não gostar, assiste até a quarta temporada que tá tudo certo.

The O.C.

The O.C. foi quase um estopim para séries de adolescentes nos anos 2000, em 5 de agosto de 2003 ia ao ar o seu primeiro episódio. Nele, Ryan Atwood (Benjamin McKenzie), um menor infrator, rebelde e esquentadinho, conhece seu defensor público, Sandy Cohen (Peter Gallagher), um dedicado advogado, casado com Kirsten (Kelly Rowan) e pai de Seth (Adam Brody), um adolescente nerd e tímido, viciado por quadrinhos e videogame. Ryan vai parar na casa dos Cohen, uma simplória (só que não) mansão em Orange County, Califórnia. Lá ele conhece Marissa (Mischa Barton), vizinha dos Cohen, a típica pobre menina rica. O.C. tinha um ar de pura melancolia, tinha alguns alívios cômicos com Seth e Summer (Rachel Bilson), mas no geral era puro drama. A série de adolescentes ricos da California fez um tremendo sucesso, fosse para amar o casal vivido por Adam e Rachel, fosse para odiar a chata da Marissa (não sei vocês, mas eu sim), mas não vou mentir, eu adorava todo o drama. Confesso que o final não foi aquela coisa maravilhosa, com o passar dos anos a série perdeu muito de seu encanto, mas num geral, bate uma baita nostalgia pensa em The O.C.. Ah, e não sei se vocês ficaram sabendo, mas logo, logo, a série vai entrar no catálogo da Netflix. Já estou aqui esperando pra começar o remember.

Continue lendo »


2 comentários